sábado, 12 de agosto de 2006

Namoro!

Quem namora agrada a Providência!
Namorar é a forma bonita de viver um amor. Não namora quem cobra nem quem desconfia. Namora quem lê nos olhos e sente no coração as vontades saborosas do outro. Namora quem se embeleza em estado de amor. Namora quem suspira, quem não sabe esperar mas espera, quem se sacode de taquicardia e timidez diante da paixão. Namora quem ri por bobagem, quem sente frios e calores nas horas menos recomendáveis.
Não namora quem ofende, quem transforma a relação num inferno, ainda que por amor.
Amor às vezes entorta, sabia? E quando acontece, o feito pra bom faz-se ruim.
Não namora quem só fala em si e deseja o parceiro apenas para a glória do próprio eu. Não namora quem busca a compreensão para a sua parte ruim. O invejoso não namora. Tampouco o violento!
Namorados que se prezam têm a sua música e não temem se derreter quando ela toca. Ou, se o namoro acabou, nunca mais dela se esquecem. Namorados que se prezam gostam de beijo, suspiro, morderem o mesmo pastel, dividir a empada, beber no mesmo copo. Apreciam ternurinhas que matam de vergonha fora do namoro ou lhes parecem ridículas nos outros.
Por falar em beijo, só namora quem beija de mil maneiras e sabe cada pedaço e gostinho da boca amada. Beijo de roçar, beijo fundo, inteirão, os molhados, os de língua, beijo na testa, no seio, na penugem, beijo livre como o pensamento, beijo na hora certa e no lugar desejado. Sem medo nem preconceito. Beijo na face, na nuca e aquele especial atrás da orelha, no lugar que só ele ou ela conhece.
Namora, quem começa a ver muito mais no mesmo que sempre viu e jamais reparou. Flores, árvores, a santidade, o perdão, Deus, tudo fica mais fácil para quem sabe de verdade o que é namorar.
Por isso só namora quem se descobre dono de um lindo amor, tecido do melhor de si mesmo e do outro. Só namora quem não precisa explicar, quem já começa a falar pelo fim, quem consegue manifestar com clareza e facilidade tudo o que fora do namoro é complicado.
Namora, quem diz: "Precisamos muito conversar"... e quem é capaz de perder tempo, muito tempo, com a mais útil das inutilidades e pensar no ser amado, degustar cada momento vivido e recordar palavras, fotos e carícias com uma vontade doida de estourar o tempo e embebedar-se de flores astrais.
Namora, quem fala da infância e da fazenda das férias, quem aguarda com aflição o telefone tocar e dá um salto para atendê-lo antes mesmo do primeiro trim. Namora quem namora, quem à toa chora, quem rememora, quem comemora datas que o outro esqueceu.
Namora quem é bom, quem gosta da vida, de nuvem, de rio gelado e de parque de diversões.
Namora quem sonha, quem teima, quem vive morrendo de amor e quem morre vivendo de amar!
Artur da Távola
NAMASTE!

4 C O M E N T Á R I O (S)

Anônimo disse...

Namora quem faz da transparência e da verdade sua presença e ausência. Namora quem, mesmo carente, consegue separar o joio do trigo e caminhar lado a lado com a felicidade que o outro está pronto para dar e também está mais do que pronto para retribuir de forma real e espontânea.
Boa sorte.

Nena disse...

Dar não é fazer amor

Luís Fernando Veríssimo



Dar é dar.

Fazer amor é lindo,

é sublime,

é encantador,

é esplêndido,

mas dar é bom pra cacete.



Dar é aquela coisa

que alguém te puxa os cabelos da nuca,

te chama de nomes que eu não escreveria,

não te vira com delicadeza,

não sente vergonha de ritmos animais.



Dar é bom.

Melhor do que dar, só dar por dar.



Dar sem querer casar,

sem querer apresentar pra mãe,

sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.



Dar porque

o cara te esquenta a coluna vertebral,

te amolece o gingado, te molha o instinto.



Dar porque

a vida de uma publicitária em começo de carreira

é estressante, e dar relaxa.



Dar porque

se você não der para ele hoje,

vai dar amanhã, ou depois de amanhã.



Dar sem esperar ouvir promessas,

sem esperar ouvir carinhos,

sem esperar ouvir futuro.



Dar é bom, na hora.

Durante um mês.

Para as mais desavisadas, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazia.



Dar é não ganhar.

É não ganhar

um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.

É não ganhar uma mão no ombro

quando o caos da cidade parece querer te abduzir.

É não ter alguém pra querer casar,

para apresentar pra mãe,

pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:

"Que cê acha amor?".



Dar é inevitável,

dê mesmo, dê sempre, dê muito.

Mas dê mais ainda,

muito mais do que qualquer coisa,

uma chance ao amor, esse sim é o maior tesão.

Esse sim relaxa,

cura o mau humor,

ameniza todas as crises e faz você flutuar

o suficiente pra nem perceber as catarradas na rua.



Se você for chata, suas amigas perdoam.

Se você for brava, suas amigas perdoam.

Até se você for magra, as suas amigas perdoam.

Mas... experimente ser amada."

...achei tudo de bom esse texto e lógico que lembrei de vc...rsrs

Bjks...

michellyrc disse...

eu deveria ter lido isso muito antes de tentar ter um relacionamento com vc ...mas agora não adianta mais.... mas com certeza irei usar para o futuro .... bjssssssssssssssss MICHELLY

My Self disse...

Namoro, casamento enfim... Existe uma necessidade de desenvolver um certo grau de inteligência emocional e vontade para fazer com que uma relação seja sustentada por atos de ambas as partes, afinal, muitos confundem que ao se tratar de emoções, o amor deve caminhar por si só, de forma espontânea. Esta premissa, nada mais é do que um grande equívoco.

Postar um comentário