quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Desprenda-se!

Durante a nossa jornada terrena, vamos adicionando pessoas, animais de estimação e bens materiais que, de alguma maneira, nos completam.
Chega um momento em que algumas delas podem não estar mais presentes ou até mesmo ainda estar, mas não do jeito que esperamos, afinal, mudanças e perdas acontecem. Assim acontece com as pessoas que passam por nossa vida durante nossa caminhada e, por algum motivo, são para nós insubstituíveis.
Pequenos (às vezes grandes!) animaizinhos domésticos nos suprem a solidão, o amor que esperamos do outro, etc., dentre inúmeros sentimentos que o amor incondicional de diversos animais de estimação podem nos ofertar, mas também nos trazem dor e lágrimas quando desencarnam. As perdas materiais também acontecem, muitas vezes inevitavelmente. Diante dessas perdas e mudanças, que geralmente trazem dor, não se deve, jamais, desanimar.
Acontecimentos assim devem ser encarados como experiências que ajudam a evoluir. Cabe a quem perde aceitar as perdas e as mudanças, adaptando-se a elas... O mundo não vai parar por causa de algum acontecimento e será um desgaste muito grande a quem optar por ficar parado no tempo, remoendo dia após dia o que aconteceu.
Esperar pelo momento e pelas condições perfeitas para seguir em frente e tomar decisões, muitas vezes, parece ser o mais sensato e cômodo a fazer.
Porém, deve-se ter em mente que mesmo que o dia presente não seja o mais perfeito, ele pode oferecer todas as possibilidades e, aproveitando,
cabe como uma luva a máxima:
"Nada como um dia após o outro,
com uma noite espremidinha no meio!"
.
É como olhar uma simples moeda:
Se deixá-la imóvel, deitada sobre a mesa, ela vai apresentar apenas uma imagem. Sem comodismo e com disposição, podemos virá-la e enxergar o outro lado, e com movimentos contíguos, veremos não só os dois lados, mas todos os desenhos de sua circunferência.
Assim são os dias e nossa disposição diante dos fatos, não se devendo jamais fechar os olhos diante do que é tão claro, mas estarmos atentos e abertos a enxergar todas as possibilidades e aceitar as oportunidades que a vida nos oferta.
Quando uma porta se fecha, outras se abrem. Assim são os dias, quando um termina, logo outro se inicia. Em todos eles somos abençoados e temos a opção de usar todas as ferramentas ao nosso favor e ir ao encontro da felicidade.
Todos os dias ao acordar é possível fazer escolhas para ter um bom ou mau dia.
Enxergue todas as possibilidades que se fazem presentes para alcançar e realizar o que é desejado.
Abra-se para novas experiências...
Aproveite o dia... aproveite a vida!
Aproveite...
NAMASTE!

3 C O M E N T Á R I O (S)

Rafaela Figueiredo disse...

ai, eu sou afim do desapego!
e já o pratico, em partes, confesso.
só não abro mãos dos meus amoresamigos, claro. :P pq esses compõem a mim mesma...

besos
o/
bom fds

Joana disse...

Não é por nada, mas este texto consegue ser o resumo do que tem acontecido na minha vida nos últimos tempos.
Muito bom texto. :)

Beijocas

Tamara disse...

Perda, a princípio, é sinônimo de dor, angústia e sofrimento. Mas pode significar também renascimento, novas oportunidades, reconstrução, recomeço...
Tomara que tenhamos todos discernimento e sabedoria, para encararmos o período(necessário)do luto, para enxergarmos e desfrutarmos dessa nova fase que pode ser interessantíssima.
bjus

Postar um comentário